13.7.12

5# He Is We

Hoje foi um dos dias mais especiais que tive até agora, é que aconteceu-me tanta coisa, neste dia que nem sei como começar.
Acabei as aulas às 13h, eu e toda a gente, e quando estava a sair com as minhas amigas, o David foi a correr atrás de mim para falar comigo.

(Margarida - Olha eu e elas vamos guardando lugar para ti, ok? Até já.)

Depois deixou-nos sozinhos, mas saiu com um ar de preocupado, porque sim a Margarida, é daquelas pessoas que se preocupa muito, e fica com medo, e ainda por cima conhece o David muito bem.

(David - Eu sei que te magoei muito, e que não queres saber mais de mim, mas eu preciso de ti porque te amo, e não é por estas tuas birras que podemos acabar assim, porque afinal és demasiado importante para mim e não te posso deixar ir. Tu és minha e sempre serás!)

Eu logo quando ouvi a palavra 'birras', depois de tudo o que ele me disse dei-lhe um estaladão na cara, que até eu fiquei com dores. Como é que eu namorei com um rapaz daqueles?! Porém, ele começa-me a agarrar, a aleijar-me, mas com força. Eu estava indefeza, não podia fazer nada, mas felizmente o Diogo apareceu e conseguiu-me 'libertar' daquele monstro. Ainda tentou começar um ajuste de contas ao Diogo, mas eu não deixei, pois enchi-me de força e disse-lhe nos olhos que já não gostava dele e que fazia parte do passado, com que fez ele acobardar-se, e ir embora.

(Inês - Obrigada Diogo, por me ajudares, és um grande amigo)

(Diogo - Só fiz o dever de um amigo, ele não te merece tal como te disse)

Porque é que este rapaz é um querido, que me faz sentir bem, que faz-me ter vontade de o abraçar, ele parece ser tão especial.
Ele acompanhou-me até ao pé das minhas amigas, e depois foi-se embora. E claro que as minhas amigas começaram logo a cochichar umas com as outras, sobre mim e o Diogo.
Tirando tudo isto, tivemos uma tarde fabulosa, estava bom tempo, estava pouca gente no shopping, havia um filme giro para ver no cinema, ainda havia dinheiro para umas pipocas, e ainda principalmente tinha as melhores amigas do mundo como companhia.
À saída do cinema, uma rapariga veio ter comigo e deu-me um papel, mas não me disse nada pois foi-se logo embora. Era um convite...

(...) "Olá Inês, gostava de te convidar para ires ter comigo à esplanada, amanhã pelas 15h, para falarmos e fazermos alguma coisa, eu lá estarei mesmo que não venhas (:
Beijos, Diogo."

Eu depois de pensar decidi aceitar e ir ter com ele à esplanada, será que ele terá alguma coisa para me dizer?

Sem comentários:

Enviar um comentário

sente e depois exprime ♡